quinta-feira, 4 de setembro de 2008

"CAN"






Este filmezinho já tem alguns anos (desconheço quantos) e originalmente vinha acompanhado de um texto explicativo, texto esse que por vir independente ter-se-á "perdido" nos reenvios dos reenvios. Pessoalmente, tambem não tive a oportunidade de o ler mas segundo me relatou um colega que o terá lido, o seu teor seria básicamente o seguinte: Num país qualquer (que, segundo parece, terá sido na África do Sul), um jovem deficiente com vários problemas, fruto de paralisia cerebral, terá manifestado ao pai (que apesar da sua avançada idade ainda era praticante desportivo) o seu sonho de um dia poder participar numa prova muito famosa na sua cidade. Essa prova era um Triatlo mas de dimensões superiores ao triatlo normal, ou seja, uma prova duríssima, mesmo para atletas de alto nível. E o pai... fez o que consta do filme-resumo. Segundo constava do texto, a equipa pai-filho chegou ao fim da prova muitas horas depois (acho que mais de sete) de todos os outros terem terminado. Mas chegaram! E para surpresa deles, a Organização da prova manteve todo o "staff" no local de chegada para os receber condignamente! ... para que o jovem tivesse a alegria de poder dizer (no seu caso, escrever) "C A N" (em português: "POSSO") Talvez este filmezinho ajude alguns pais a adquirir mais um pouco de paciência (a juntar à muita que já tem habitualmente com os seus filhos "especiais") quando eles estiverem com dificuldades em participar numa qualquer actividade desportiva. ...ou numa simples tarefa do dia-a-dia, como segurar correctamente nos talheres, ou calçar um par de luvas, ou pegar num lápis e escrever o próprio nome... Um abraço para todos.

E acreditem numa coisa:

FILHOS ESPECIAIS SÃO PARA PAIS ESPECIAIS


Enviado por Rui Barreira

1 comentário:

Marta Ferreira disse...

Quando me dizem: " porquê que Deus tinha de me dar a mim um filho assim??", costumo responder: "Deus só dá filhos assim a quem realmente os merece, a quem é digno de os ter, e a quem é capaz de dar tudo o que os meninos especiais merecem."
Por vezes queremos que eles façam mais do que conseguem, queremos que eles evoluam mais depressa, mas eles só fazem aquilo que podem!
Cabe a nós dar um empurrão. Cabe a nós participar com eles e levá-los ao encontro dos seus sonhos! Cabe a nós fazermos deles absolutamente felizes...