quinta-feira, 26 de junho de 2008

O Meu Blog esta de Luto

Recentemente, dois pais puseram termo à vida. Dois suicídios. Deixaram órfãos dois filhos Diferentes. Um, na área de Barcelos, o outro, em Viana do Castelo. O primeiro, na pré-reforma da polícia, era pai de um jovem de mais de vinte anos, com uma deficiência que desconheço. O segundo, era pai de um jovem autista, de 17 anos, marido de uma agente da polícia que se encontra envolvida no projecto de criação de uma associação de autistas, naquela cidade. O primeiro, tomou remédio de escaravelho, em casa. O segundo, enforcou-se, pensa-se que, na sequência de uma depressão.
Uma realidade cruel. Por isso, a torno pública. Deixo aqui um apelo: nunca desistam da vida. Troquem experiências. Falem com outros pais. Procurem ajuda. Convivam. O autismo precisa de ser compreendido, aceite e não modificado. Sei, por experiência própria, que é preciso paciência. Por vezes escasseia. Sei que, às vezes, o egoísmo ignorante de quem está por fora, nos tolda o pensamento. Pensem no futuro destas mães que, sozinhas, se vêm a braços com os filhos diferentes e que não compreendem esta atitude.
Para estas famílias, deixo aqui, os meus mais profundos sentimentos e uma mão estendida.
Na maioria das vezes, as incertezas de hoje, são o ânimo de amanhã

In: Aromas de Portugal

1 comentário:

Mário Relvas disse...

Olá Fernando,
Enquanto as pessoas não perceberem que, só unidos em amor e amizade se leva a vida para o bem comum, não se espera outra coisa.
Pergunto: As associações interessam-se pelas famílias? De que forma? Falei ontem como uma mãe de um autista -sócia do Núcleo de Braga da APPDA-Norte- que está em tratamento oncológico há mais de um ano. O seu filho sofreu durante este período pelo internamento da mãe.Neste preciso momento faz radioterapia no IPO -Porto.Irá fazer mais exames e está apreensiva, pois poderá ter que ser de novo operada a outras ramificações.
Desejo forças à Áurea e ao marido e ao filhote, o nosso José Henrique.
Abraço